Como funciona o Guia de Bares e Botecos

O guia do Cumbuca tem a pretensão de cobrir toda a área etílica da cidade. Alguém aqui teve a ideia de visitar todos os botequins, botecos, bares, biroscas e pé sujos de Campinas. Depois de 10 anos de serviço, nossa missão continua no sacerdócio de compartilhar copos, conversas e informações sobre esses estabelecimentos.

Falando assim botequim, boteco, bar, parece tudo a mesma coisa, certo?

Mas, a nossa especializada equipe de reportagem encontrou uma definição afetiva para cada uma das modalidades aqui representadas. Saber diferenciá-las é a melhor maneira de aproveitar mais a sagrada aventura etílica. Respeitar as características de cada lugar é importante para que se possa extrair a sua poesia escondida.

BOTEQUIM

O botequim o início de tudo. É quando os portugueses abrem no Brasil seus armazéns de secos e molhados, que logo se transformam em ponto de encontro de pessoas interessadas em boas bebidas e boas conversas.

O botequim de hoje é aquele que ainda preserva alguma característica de mercearia e/ou vende bons vinhos e bons acepipes – sobretudo frios e peixes. Quanto mais lusitano for o dono, mais botequim é o estabelecimento.

BOTECO

O boteco é um meio termo entre bar e botequim. A própria palavra boteco evoca um carinho e uma intimidade que, geralmente, não existem no bar. Boteco é o sujinho da esquina do bairro, aquele onde às vezes só existe um tipo de salgado para comer. É aquele que mantém as portas abertas graças a fidelidade dos fregueses do bairro, que não saem de lá por nada.

O boteco permite a presença de mesa de sinuca torta, o tipo folclórico e os palavrões cabeludos na porta do banheiro. Não são, necessariamente, sujos. Mas, também, não são exatamente assépticos. E aí está o pitoresco da coisa.

BAR

Bar é um termo amplo demais. Ele pode ser usado até para definir o boteco e o botequim, já que bar é todo lugar onde se pode beber cerveja gelada, beliscar um tira gosto e jogar papo fora. Porém, o bar em questão é aquele onde as pessoas vão, geralmente em grupos, para se divertir ou paquerar.

O bar tem garçom alinhado, cardápio, banheiro para homem e para mulher e, às vezes, fila de espera e música ao vivo com couvert – coisas impensáveis num autêntico boteco.

RESTAURANTE

Não pretendemos aqui tornarmos o Cumbuca em uma referência da alta gastronomia, um guia de restaurantes de Campinas, mas não podemos deixar de incluir no roteiro das andanças etílicas pela cidade, estabelecimentos que oferecem um ambiente ideal para matar aquela fome mais aguda sem perder o clima da conversa regada a cerveja. São restaurantes sem frescura onde se pode comer uma boa comida por preços honestos.

AFINS

Aqueles locais que, apesar do alvará negar, tem clima de boteco e se adaptam para oferecer um bom petisco e uma gelada se a gente assim quiser, nem que seja um cantinho só para apoiar o copo e o cotovelo. Pode ser o balcão da padaria, a caixa de madeira do empório, o freezer de congelados ou até uma exígua pedra imitando mármore onde se cortam os frios. A questão é que alguém resolveu ali servir comida para os fregueses acompanhar as geladas, ou vice e versa.

Como um estabelecimento entra para o Guia de bares e botecos?

A primeira coisa a saber – o guia é gratuito e assim sempre será.

Para um estabelecimento figurar em nossa ilustre lista, basta que o dono do bar ou qualquer outra pessoa, inclusive você que é frequentador assíduo dos botecos, nos envie os dados como o nome, endereço, telefone etc, também destacando o petisco que faria alguém atravessar a cidade para experimenta-lo. Se vier uma foto, você poderá até concorrer a uma noite etílica em companhia do Maguila Moreira (ver quem é aqui), nosso ilustre editor – você paga. Se a foto for boa então, fará jus a uma menção honrosa.

As informações serão confirmadas, assim como na maioria das vezes, atravessaremos a cidade para provar o petisco.

Mande para o Cumbuca.

Você tem um boteco legal para indicar?

Cumbuca, mas como posso reconhecer um autêntico boteco?
Como posso chegar na boa em um bar?*

Nossa equipe de cientistas sociais (todos formados pela UNICAMP) desenvolveu um profundo estudo sobre o tema e elencou 15 dicas para reconhecer um autêntico boteco (clique para acessar), assim como um guia indispensável com 10 dicas para saber chegar em um boteco (clique para acessar) que, com toda a certeza, poderá contribuir para que você não saia de lá com azia, indigestão ou correndo!

* Questões retiradas entre as milhares recebidas por nossa equipe.

Você sabia que nossa equipe visitou a maioria dos botecos do Guia?

Mas não tente fazer isso de uma vez, são mais de mais de 365 bares e mais de 10 anos nesse árduo trabalho. Se quiser saber pode onde começar, visite nossa seleção com os botecos que você tem que visitar antes de morrer.

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Sua mensagem